Foco narrativo

Já sabemos que a tipologia textual conhecida como narração tem elementos e estruturas específicos, diante disso existem características que devemos conhecer, uma delas é o foco narrativo, que consiste na estrutura narrativa, ou seja, na construção do texto na primeira pessoa do discurso ou na terceira. Para cada construção existem estratégias e recursos diferentes. Desse modo temos:

Foco narrativo em primeira pessoa

  1. Narrador personagem: Conta a história em primeira pessoa, pois faz parte dela, por isso esse texto é marcado por subjetividade, limitada a um único ângulo de visão acerca da história. Apresenta além dos fatos, uma carga emocional sobre eles. O interessante é que este tipo de narrador pode contribuir para o clima de suspense da narrativa tendo em vista que as circuntâncias e os fatos são limitados para o narrador, o leitor descobre junto com ele no decorrer da narrativa.
  2. Narrador protagonista: como o próprio nome diz, aqui o narrador personagem é o foco principal da narrativa, assim toda a trama gira em torno dele, por isso, ao narrar apresenta-se com uma carga emocional muito maior. O leitor terá, nesse caso, a visão subjetiva dessa personagem e uma visão limitada às suas emoções com relação à narrativa. Saberá da trama sob o olhar de quem a vive diretamente.
  3. Narrador testemunha: o narrador faz parte da história, mas não é a personagem principal, ainda sim, teremos uma visão subjetiva da situação, entretanto, como a trama não está centrada nele, a carga emocional é menor.

 

Foco narrativo em terceira pessoa

  1. Narrador onisciente: a palavra “onisciente” deriva do latina cujo prefixo “oni” significa todo e a palavra “ciente” refere-se àquele que tem ciência, ou seja, conhecimento de algo. O narrador onisciente, é como se fosse um deus na narrativa, ele conhece todos os ângulos da história, inclusive o pensamento, as sensações, as emoções de todas as personagens. Ele é capaz, inclusive de descrever ações que acontecem ao mesmo tempo em lugares diferente, ele também é onipresente.
  2. Narrador onisciente neutro: por mais que ele conheça tudo acerca da história e das personagens, ele apenas descreve as ações e as personagens, sem apresentar opiniões a respeito delas, desse modo, ele não influencia o leitor. Descreve os fatos para uma compreensão mais ampla da narrativa.
  3. Narrador onisciente seletivo: conhecedor de tudo, apresenta os fatos, os acontecimentos e  as personagens e ainda tece observações e opiniões acerca de cada elemento da narrativa, trazendo certa influencia para o leitor se posicionar contra ou a favor.
  4. Narrador observador: Não faz parte da história, nem conhece todos os elementos da narrativa, este narrador tem apenas um ângulo da história. É alguem que acompanha uma história de fora, por isso, suas observações são mais objetivas, porém limitadas ao seu raio de visão acerca dos acontecimentos concernentes àquela narrativa.

A não ser que seja uma intenção dentro de sua produção narrativa, não se deve mudar o foco narrativo de seu texto ora escrevendo na terceira, ora na primeira pessoa do discurso.

 

Abraços,

Jessica Marquês.

 

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *